5 boas razões para revender materiais gráficos em São Paulo

Sem dúvidas você já ouviu alguém dizendo por aí:

“São Paulo tem mais oportunidades e é para lá que eu vou!”

Pois é! Se você parar um pouquinho para pensar, com certeza vai acabar concordando com esse pensamento!

Ainda não está convencido? A Paulista te dá 5 bons motivos para você começar ou ampliar seu negócio de revenda gráfica na capital paulistana!-

1.  São Paulo é o principal centro populacional e econômico do Brasil

 materiais-graficos-economia

A cidade de São Paulo é a maior metrópole brasileira, com cerca de 12,038 milhões de habitantes, e esse número cresce a cada minuto. Afinal, além do nascimento de bebês, que no estado chegou a ser maior que 190 por dia (segundo o IBGE), muitos acabam se mudando para cá para estudar, buscar um trabalho com melhores benefícios, ou ainda para tentar a sorte!

Você sabia que o estado de São Paulo é a 19ª maior economia do mundo, sendo a 2ª maior da América do Sul, e que a capital paulista é considerada hoje o principal centro comercial e econômico do Brasil? Isso mesmo! A terra da garoa é o berço econômico do nosso país e o principal centro financeiro, inclusive sediando a Bolsa de Valores.

Um ambiente ideal para acolher empreendedores, microempresários e revendedores, até porque “Sampa” nunca para e anda a passos largos na estrada do crescimento!

2. 25 de Março: maior centro comercial do Brasil!

materiais-graficos-para-comercio

Créditos: G1

A Rua 25 de Março é considerada o maior centro comercial da América Latina e recebe diariamente cerca de 400 mil visitantes, que circulam pelos seus 2.500 metros repletos de lojas e comércios ambulantes, isso em dias normais, porque próximo a datas comemorativas, como dia das mães, dia dos pais e principalmente o Natal, esse local recebe mais de um milhão de pessoas!

Especialista em diversidade e preço baixo, a “25” começou a ganhar fama nos anos 60, isso porque as enchentes que aconteciam no local danificavam muitos produtos e os itens que restavam nas lojas eram vendidos pelos comerciantes a “preço de banana”, atraindo assim a atenção de clientes. Os anos foram passando e a rua foi ficando repleta de lojas que continuaram com essa levada: “preço baixo e muita variedade de produtos”!

Todo comércio precisa de uma boa propaganda para garantir seu sucesso, principalmente em ambientes muito concorridos como é o caso da 25 de Março. Por isso, investir em materiais gráficos é essencial, como cartazes, folders, cartões de visita, banners e lonas personalizados, divulgando o estabelecimento e seus produtos.

Algumas lojas investem ainda mais em produtos gráficos e impressos personalizados, como, por exemplo, tags (para inserir em roupas, produtos artesanais e cartelas para bijuterias), recibos e bloco de notas (para entregar aos clientes juntamente com as compras) e sacolas e embalagens personalizadas para presentes. Afinal, “a propaganda é alma do negócio”, não é?

Outra ideia muito boa é investir em mapas-guia. Isso mesmo! Esse material não precisa ser usado somente em parques de diversão. Nesse caso, entregar aos clientes um mapa para que eles nunca mais se percam em meio à multidão da 25 de Março é uma forma de atrair e fidelizar clientes, ajudando a encontrar sua loja (ou a loja do seu cliente) quando retornarem, até porque muitos sacoleiros fazem caravanas e vêm de outros estados, todos com o mesmo objetivo: “comprar na 25 de Março!” 😀

Esse é o segundo motivo para investir em materiais gráficos e impressos personalizados: o comércio de rua e seus quase 80 shoppings!

Leia também no blog da Paulista: “Revendedor gráfico: como inovar na revenda de materiais gráficos?”

 3. Diversidade cultural

 materiais-graficos-diversidade-cultural

A capital paulista é campeã em diversidade cultural, isso porque desde sua descoberta pelos portugueses, em 25 de janeiro de 1553, o local era povoado por índios, e com o passar dos anos, vieram os africanos com a expansão econômica em decorrência da cafeicultura, e mais a frente, em meados dos anos 70, as indústrias, que antes ficavam ao redor da cidade, migraram para a grande São Paulo, trazendo estrangeiros de diversos países, além de brasileiros de regiões cada vez mais longes, como do nordeste e do norte do país.

Os japoneses também fazem parte da diversidade cultural, já que em 1908 aconteceu a Imigração Japonesa. Quem não conhece, ou pelo menos nunca ouviu falar do “bairro da Liberdade”, o tradicional bairro japonês na grande São Paulo?

Hoje em dia podemos dizer inclusive que os jovens contribuem e muito para a expansão e ramificação da cultura com divisão e subdivisão de grupos, seja por gostos musicais, comportamentos ou visão política.

Com tanta opção cultural, a aposta em um nicho de mercado pode ser extremamente lucrativa. Um revendedor gráfico pode, por exemplo, focar suas vendas em materiais gráficos para assessorias e gravadoras especializadas em bandas de rock, fazendo divulgação com cartazes, panfletagens e cartões de visita metalizados e trazendo o brilho do metal aos impressos! Ou quem sabe, investir em empresas do ramo turístico, tornando-se um revendedor especializado em materiais gráficos desse segmento?

 4. Turismo

materiais-graficos-sao-paulo

O turismo também é um ponto-chave dessa cidade que movimenta o mercado econômico e também e o mercado gráfico! Isso porque o estado de São Paulo recebe por ano mais de 50 milhões de turistas e investe em melhorias contínuas para atrair cada vez mais visitantes.

Veja alguns pontos turísticos da capital paulista: além da Rua 25 de Março, que falamos acima, a cidade conta com diversos museus (Museu do Futebol/ Museu de Belas Artes), teatros (Frei Caneca) e parques (Parque do Ibirapuera), inclusive, os principais eventos estrangeiros acontecem aqui, como o Grande prêmio (GP) de Fórmula 1 e o São Paulo Fashion Week. Aqui, novamente surge um mercado imenso para revendedores gráficos!

Que tal alavancar suas vendas com materiais destinados a agências de turismo, como postais, folders, catálogos e mapas-guia para ajudar turistas a se locomoverem pela cidade, ou ainda destinar parte de suas vendas gráficas a hotéis e pousadas com folhetos,Não perturbe”, ventarolas, viseiras, crachás e o cartão de visita, que não pode faltar?

Não podemos esquecer que, além do “turismo de passeio”, temos o “turismo corporativo”, que também movimenta muito o mercado gráfico paulista, com impressos de diversos tipos, como cartões de visitas, pastas, envelopes e folders.

5. A cidade que nunca dorme

 materiais-graficos-noite-paulista

São Paulo também é conhecida por sua agitação noturna. Não é à toa que ganhou o apelido “cidade que nunca dorme”, assim como Nova York, nos Estados Unidos. Afinal, essas duas metrópoles são grandes potências econômicas, financeiras e turísticas de seus países.

As noites em Sampa são um show a parte, com diversos barzinhos, restaurantes, botecos e baladas, como, por exemplo, a Rua Augusta, famosa por sua diversidade cultural, com o teatro Augusta, inúmeros bares, botecos e casas noturnas.

Outro point é o São Cristóvão, um barzinho da zona Oeste da cidade que tem o futebol estampado em suas paredes, com mais de 3 mil objetos relacionados ao futebol. E, diga-se de passagem, o Brasil é o país do futebol, por isso muitos pontos turístico investem nesse tema!

Então, que tal aproveitar esse cenário boêmio e pegar uma fatia desse mercado, revendendo cardápios, comandas, recibos, pulseiras de identificação (para baladas), flyers, displays de mesa, cavaletes, ímãs de geladeira, bandeiras e brindes? São produtos gráficos que fazem parte do dia a dia, ou melhor, da noite dos estabelecimentos paulistas!

Viu só como o mercado gráfico na grande cidade cinzenta é amplo e diversificado?

Por isso a Paulista preparou para você, revendedor, esses 5 motivos especiais, para abrir seu leque de opções de revenda e te ajudar a ampliar muito mais seu negócio no mercado gráfico. Afinal, a Paulista se importa com você e com seu sucesso!

Acesse nosso site e confira as diversas opções de materiais gráficos disponíveis para você dar aquele up no seu negócio! 😉


Deixe o seu comentário Todos os campos são obrigatórios